Morte




A morte e um acontecimento que é inerente a própria vida humana, sua definição nos lembra  o espaço  vazio, a rotina interrompida, o fim frente a tudo que se conhece, surpresa, raiva,  silencio,  austeridade,  cerimonialismo, contemplação e reflexão. Existem tantas outras definições científicas e populares que posso esboças aqui, biológica; "a falência do organismo", física; "a energia que muda de ambiente", química: "transformação da matéria", psicologia: "a personalidade que se apaga", filosofia: "o pensar que se torna escuridão",  senso comum: "o descanso eterno",  para os céticos: "o estágio ultimo do viver".

       Uma das formas que podemos conhecer uma cultura e a ritualização da cerimônia de seus mortos, na Índia os corpos são cremados ou jogados em um rio sagrado, no Japão existe a  preparação na presença de familiares dos corpos, no Egito antigo a mumificação. Podemos nos referir aqui tanto a percepção  da morte por um só indivíduo, como para a ciência ou  toda uma sociedade, mais a questão que quero chegar é qual  a realidade que se apresenta tanto para quem se vai e como aquele que fica. Pois tudo que se apresentava antes será substituido apartir daquele acontecimento por algo que não desejamos, não nos foi inquirido nem ao menos um aviso prévio para podermos lutar, nos preparar, ou como diria Tim maia "aquele adeus não pude dá".

       Muito se pode cogitar a respeito da emoção de quem fica, da dor, do sentimento de espaço vazio, da interrupção não concedida e imposta, da busca desesperada por  respostas, seja, de que ângulo ou direção venham mais devem ser ouvidas, gritadas a todas as partes, da fragilidade espiritual que fatalmente se refletira na corporal, do parar no tempo não sei se tentando conservar o que o outro deixou ou tentando se auto conservar para que o tempo não apague as marcas de quem se foi nos deixou impressas tanto no corpo como na alma, para ser bem realista a morte e um ato abrupto e incoerente para os padrões humanos, pois nos e tirado em segundos uma vida compartilhada, que esta ali a tanto tempo que deveria ser respeitada com  um simples porque daquela separação.  Deve ser um ato de quem deve saber o que esta fazendo mesmo porque a percepção humana ainda não conseguiu atingir esta magnitude da morte, fomos a lua, as profundezas do mar, já até explicamos as particularidades de uma simples célula até o genoma humano e não abstraímos por completo esse fato.

       Para quem vai nessa viagem as escuras deve ser um barato algo do tipo voar sem asas, ter experiência e não criar rugas, nadar sem se preocupar com a respiração, sonhar e realizar, voltar a infância e comer a fruta roubada do vizinho, entender trigonometria de primeira, brincadeiras a parte e um salto no escuro,  entre todas as teorias nenhuma tenho a certeza que chegara perto da pratica da morte em si.

Postagens Populares